Atividades desenvolvidas

Atividades desenvolvidas

A estrutura de programação do Centro Max Feffer Cultura & Sustentabilidade divide-se entre “fixa” e “rotativa”.

A chamada programação “fixa” estimula a regularidade de público através da exibição de filmes, realização de shows, peças de teatro e demais atividades que propiciem a fruição do público.

Já a programação “rotativa” amplia o leque de atuação do Centro junto ao público em geral, com a realização de cursos, oficinas e outras atividades de formação e capacitação dos participantes.

1. Módulos Conceituais:

Programação Cultural

São diversos projetos que têm como objetivo proporcionar a fruição artística e a formação de público espectador por meio de uma programação de qualidade.
A escolha das atividades e a estruturação da grade de programação visa a diversidade, buscando atingir os diferentes públicos que frequentam o Centro.
Arte e Cidadania

É um projeto desenvolvido pelo Instituto Jatobás e que atualmente se encontra em fase de captação de recursos através da Lei Rouanet. Arte e Cidadania pretende estimular a experiência artística como forma de exercício de cidadania, de reflexão, ampliação de repertório e de formação. E promover a consciência individual e coletiva sobre o entorno e a prática da cidadania, buscando a construção de um caminho coletivo e o respeito à cultura.
Os programas serão voltados aos públicos infantil, infanto-juvenil e jovem. O Centro desenvolverá essas atividades com o apoio de consultores e especialistas em arte-educação, visando atender a carência de vivência cultural e de atividades para essas faixas etárias, de forma construtiva.
Estímulo à Criação e Produção Artística.

São projetos que objetivam mapear o potencial artístico e cultural da região e assim estimular a expressão artística local.
Apresenta os talentos da região e cria condições para que os artistas produzam e aprimorem seus trabalhos, a fim de ampliar a produção e a difusão da produção artística local.
O Centro Max Feffer Cultura & Sustentabilidade atua como um facilitador:

Apoiando e orientando a realização dessas atividades por meio de sua estrutura;
Fornecendo orientação profissional;
Criando condições para o desenvolvimento de todas as formas de expressão artística genuinamente regionais.
Cultura da Sustentabilidade

Adoção de práticas cotidianas que promovam o bem estar e respeito ao meio ambiente e capacitação de pessoas em conceitos de sustentabilidade e desenvolvimento humano.
Espaço Comunidade

Constitui-se na cessão de espaços para iniciativas da comunidade, tais como discussões, reuniões, aulas, visitas e outras.
O Centro Max Feffer Cultura & Sustentabilidade disponibiliza, em sua grade de programação, espaços e horários para as atividades da comunidade, envolvendo artistas, produtores, educadores e público local em geral.
São diversos tipos de projetos, que ocupam o espaço do Centro Max Feffer de Cultura e Sustentabilidade, tornando-o assim um centro cultural participativo.
Inscreva seu projeto [clique aqui]

Educação Musical

Projeto que faz parte do planejamento de atividades do Ecopolo Cultura. Atualmente encontra-se em fase de estudo e desenvolvimento, com ativa participação da comunidade local.
Este projeto tem como objetivo a formação e profissionalização de músicos locais. Prevê a formação e aprimoramento de músicos e potenciais músicos por especialistas em musica e educação musical.
2. O Centro de Inclusão Digital - CID

O CID – Centro de Inclusão Digital, uma parceria com a Fundação Bradesco, disponibiliza cursos e livre acesso à internet para a população. Desta forma, promove a autonomia do cidadão e a melhoria das suas condições de vida ao facilitar o alcance à informação e ao conhecimento por meio da tecnologia digital, colaborando para que ele se torne um agente da sua própria mudança.

Diante de um cenário que se caracteriza pela rápida evolução das tecnologias da informação e comunicação, o conhecimento de informática, a capacidade de acessar informações e processar conhecimento são fundamentais para o desenvolvimento de pessoas e empresas.

A implantação do Centro de Inclusão Digital no Centro Max Feffer Cultura & Sustentabilidade permite mesclar economia, cultura e informações, proporcionando um espaço de acesso ao conhecimento e qualificação. Que impacta diretamente em oportunidades de geração de renda e empregos, bem como na melhoria das condições de vida da comunidade, com a ajuda da tecnologia.

O CID:

Promove formação e capacitação em tecnologia da informação.
Oferece cursos de introdução à informática, onde a pessoa aprende noções básicas sobre o funcionamento dos computadores, a utilização do sistema operacional e seus aplicativos e o uso da internet e suas ferramentas, entre outros.
Viabiliza o acesso à Internet e, conseqüentemente, à informação.
Propicia a integração entre vivência prática e pesquisa.
Um dos cursos oferecidos pelo CID em parceria com a Fundação Bradesco é o Intel Aprender -Tecnologia e Comunidade, que busca desenvolver em crianças, jovens e adultos o pensamento critico, a disposição para trabalhos em grupo e o espírito de colaboração. Dentro desta proposta são desenvolvidas noções básicas de informática e, ao final, os alunos desenvolvem projetos para comunidade local.

O CID proporciona, ainda, horários de livre acesso a internet para a comunidade, de forma que as pessoas possam realizar trabalhos e pesquisas, sempre com o suporte de orientadores.

Em 2009, o CID formou aproximadamente 500 pessoas.

 

3. A Biblioteca Comunitária

Realizado em parceria com o Instituto Ecofuturo e a Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ), o projeto Biblioteca Comunitária tem como objetivo ser um espaço privilegiado de acesso aos livros e à construção do conhecimento, contribuindo para a formação continuada dos indivíduos e o desenvolvimento de competências de leitura e escrita, essenciais à emancipação e ao protagonismo.

Uma importante característica deste projeto é o permanente estímulo à participação da comunidade. Os Institutos Jatobás e Ecofuturo divulgaram intensamente o projeto e convidaram, com sucesso, toda a população a colaborar com seu desenvolvimento e implantação.

Histórico

Inicialmente, a Equipe da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil esteve em Pardinho visitando todas as escolas do município. No contato com alunos e professores, foi possível avaliar aspectos quantitativos e qualitativos do processo de leitura, resultando num diagnóstico mais preciso da situação.

Foi realizado então o primeiro curso de Formação de “Promotores de Leitura”.

Cidadãos de Pardinho foram capacitados para se transformarem nos principais agentes do desenvolvimento através da leitura.

E, assim, despertar nas pessoas o interesse de criar novos hábitos, como o de freqüentar a biblioteca, e também o prazer de descobrir um mundo novo, de se emocionar através das letras.

Posteriormente, um novo encontro aconteceu, desta vez para organizar todo o acervo da biblioteca, que já reúne mais de 4.500 livros para crianças, jovens e adultos.

No dia 06 de março de 2010 a Biblioteca foi inaugurada em um evento que contou com a participação da comunidade, representantes dos principais órgãos públicos municipais, empresariais e da diretoria do Instituto Jatobás.

A Biblioteca recebeu o nome de “Emanuel Sartori da Rocha”, uma homenagem da comunidade ao jovem delegado da Polícia Federal, cidadão pardinhense, que se dedicou aos estudos e sempre incentivou a leitura durante sua vida.

O envolvimento que a leitura de um livro promove nas pessoas fez surgir algumas histórias interessantes, como a de um casal de noivos que, saindo do cartório, foi direto ao Centro de Cultura para ouvir histórias. Ou a dos homens que, enquanto aguardavam em fila sua vez no barbeiro, não se importaram de perder a vaga para ouvir histórias que estavam sendo contadas através da leitura de livros na praça da matriz.


 Projeto Arte Coletiva Pardinho - Ciclos 1, 2 e 3: Patrocínio Bradesco

MAPA DO SITE

CONTATO

Praça Ademir Rocha da Silva, s/nº
Pardinho – SP
18640-000

14 3886.1491

© 2017 Instituto Jatobás
Todos os direitos reservados.

Projeto: Ecobrain